"Sou eu que começo ou é você que começa? [...] Sou eu que começo! [...] E eu começo como? Eu vou falando por ordem cronológica ou o que me vier na cabeça?"
(Mercedes, personagem de Lília Cabral - Divã, 2009)

O blog mudou no formato. Os textos mais recentes estão abaixo e podem ser lidos na íntegra clicando em Read more... no final de cada postagem.

O restante das postagens estão disponíveis nos links a esquerda. Utilize a ferramenta de busca ou as tags.

Fique a vontade. E volte sempre!

Me recuso ser bode espiatório

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Então que estou afogada em lágrimas. Há coisas demais em meus pensamentos e como a água que sai pelo ladrão, os pensamentos procuram frestinhas mínimas para serem expelidos.


Estou cansada de algumas coisas, mas infelizmente delas não posso me livrar. São parte de mim, da minha história. Não venho aqui choramingar casos de amor mal resolvidos ou fins tristes de romances que tinham tom eterno. Não é esse mal que me acomete. Sou sensível demais aos acontecimentos para olhar apenas para esse umbiguinho amoroso, que todo mundo olha. Chega um momento que me enjoa!


Eu não sou como todo mundo. Eu sou aquilo que preciso ser no contexto em que estou. Um dos meus pontos fortes é a flexibilidade. Tenho um jogo de cintura com a vida que chega a ser surpreendende. E isso nem sempre é bem visto por aí.


Sabe, eu queria poder olhar nos olhos de algumas pessoas e dizer o quanto eu me recuso ser bode espiatório de suas péssimas relações. Dizer que, se acaso me veem como uma ameaça, não é porque eu tenho intenções de jogar contra vocês, e sim porque este relacionamento é frágil demais para alguém tão sensata como eu.


Me excluam! Façam isso! Me excluam externamente e se perturbem internamente por noites e noites com o que eu posso dizer, caso pegue vocês em situações não tão boas.


Sinto muito, não estou nesse mundo para cuidar do seu bem-estar - você nem me paga para isso! - e nem para ignorar os fatos que me modelam.


Sabe, porque vocês não assumem de uma vez por todas que estão expostos aos meus julgamentos e de mais quem quiser julgar. Vocês se dispuseram a isso no momento em que nasceram. Assim como eu. Assim como o mundo todo.


Eu me recuso a ser o depósito das suas más escolhas. E não sei bem se vocês se lembram - eu me lembro - como e quem, literalmente assinou um atestado de confiança logo de estalo.


No fim das contas, tudo ficará bem. Em pouco tempo vocês nem lembraram mais como estive no caminho de vocês. E espero eu também ignorar essas situações tão infantis.


A minha desgraça faz sucesso. Sempre soube disso. É que hoje aprendi a transformá-las em piadas, histórias e o que mais precisar. Alguma coisa a ver com pró-ativo. May be.

9 pessoas quiseram falar também!:

Aline 19 setembro, 2008  

mari minha linda, às vezes dá vontade de ser autista né? Desligar-se do mundo e tá pouco se incomodando com gente que ama rir de nossas desventuras... sabe, vez ou outro eu tenho vergonha de habitar no mesmo planeta que alguns humanos.

Bjm e seja feliz!

Dama de Cinzas 19 setembro, 2008  

Belo desabafo!

Eu ando me sentindo meio assim tb, cansada de muita coisa! Não sei se isso é mais coisa da alma feminina ou do ser humano em geral!

Beijos

Flavia Melissa 19 setembro, 2008  

minha avó me contava a história de quatro amigos que estavam fazendo um rafting, num bote amarelo, se divertindo horrores. festejavam, pulavam, uhul, todos animadíssimos quando, de repente, o bote encalhou numa pedra e acabou se rasgando.

os quatro começaram: ah, mas que bosta, veja só, que azar, mas que raiva, como pode, estava tudo tão bem, que desgraça, não acredito, pelamordedeus!

perceberam que não tinha muito como continuarem com o bote, e resolveram andar até achar uma clareira pode pudessem se organizar e pensar no que fazer.

qual não foi sua surpresa quando, 200 metros adiante, viram que o rio aparentemente tranquilo se transformava em uma cachoeira com uma queda de mais de 100 metros?

pois é, amada.
o que às vezes é um problema irremediável, uma queixa ingrata, um sofrimento incrível pode ser, na verdade, a sua salvação.

saudades dos papos, fique bem.
beijos!

Tatah Marley's Confissões 19 setembro, 2008  

ah querida, nessas horas faz que nem eu.. VIRA AUTISTA!
Serio, depois que comecei ccom umas atitudes do mundo autistário, minha vida mudou muito ,e pra melhor pode ter certeza!
x)
segue esse conselho!
beijinhos!

Geminiana Doce 19 setembro, 2008  

Nossa quarta estava assim,desse jeito..E não podia nem me expressar...ahhhhhhhhhhhhhhhhhh
O mundo dos umbigoides é um saco e eu prefiro não participar dele...
Vc é uma fofa!!
Bjos,luz e um lindo fds

Ultra Violet 19 setembro, 2008  

xiii querida, nem perca tempo escrevendo suas belas linhas por causa dos outros. Seja vc e pronto!

O blog eh teu, a casa eh sua e faca o que vc quiser. Eu nao to nem ai. Faco escandalo, piada, rio e choro das minhas proprias desgracas e quem se alimenta delas, vai ficar com indigestao!

Bjs.

Vinícius Aguiar 20 setembro, 2008  

Mari, Mari, Mari...
fé em Deus, e em você mesma!
beijos!

Luilton 20 setembro, 2008  

Compreendo bem sua situação. Mas as pessoas precisam colocar a culpa em algo.

E esse algo é escolhido, entre muito aspectos, pela abertura que há em se deixar escolher, ou mesmo porque o algo ainda permanece no contexto mesmo achando que está por fora.

Bem... de qualquer jeito não adianta muito perder as estribeiras. Continua na sua e tenta minimizar as chances de abertura para a possibilidade de você receber a culpa.

Um beijo.

Éverton Vidal 20 setembro, 2008  

Eita! Que cheguei a tempo de ler o desabafo rs.

Sua desgraça faz sucesso? Continue mesmo a transformá-las em piadas e histórias. Fazer o quê né? Essas desgraças sempre têm algo de graça.

Muitas verdades no texto!

Bj!
Inté!

Postar um comentário

Você também precisa falar? Comente...

Importante

Os textos postados neste blog são de minha autoria. Aqueles que não são, faço referência aos autores e/ou locais onde encontrei. Faça o mesmo e respeite: se copiar, credite.

Os comentários são abertos e o conteúdo dos mesmos não necessariamente expressa a opinião da autora.

Para parcerias e contatos profissionais utilize o formulário do 'Fale comigo'.

Fale comigo

Envie um e-mail diretamente para mim.


Seu nome:

E-Mail:

Mensagem:


Você é sempre bem vindo aqui! Volte sempre que quiser!

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP