"Sou eu que começo ou é você que começa? [...] Sou eu que começo! [...] E eu começo como? Eu vou falando por ordem cronológica ou o que me vier na cabeça?"
(Mercedes, personagem de Lília Cabral - Divã, 2009)

O blog mudou no formato. Os textos mais recentes estão abaixo e podem ser lidos na íntegra clicando em Read more... no final de cada postagem.

O restante das postagens estão disponíveis nos links a esquerda. Utilize a ferramenta de busca ou as tags.

Fique a vontade. E volte sempre!

Mãe

segunda-feira, 5 de maio de 2008

Se tem alguém para quem devo algo de grande valor é para ela, minha mãe.

Não exagero quando digo que lhe devo meu maior tesouro. A vida.

Não quero entrar, necessáriamente, nas frases clichês que dizem " me carregou por nove meses...". Você me carregou por muito mais que nove meses. Arrisco dizer que me carregou por 22 anos.

Sei que embora a senhora seja o exemplo de mãe, eu nem sempre fui o exemplo de filha. Sei que embora você tenha me pedido coisas absurdas, eu sempre as entendi bem. Sei também, que as vezes o "meu bem", não é necessáriamente o "seu bem". Mas, provavelmente, no fim das contas, o "meu bem" frutificará no "teu bem".

Se te atribuo todos os meus defeitos, é porque reconheço todas as suas qualidades. Não conheço alguém tão parecida com você, como eu sou. Você é tão maravilhosa quanto eu posso ser. Lembro que em minha adolescência, (há pouco tempo atrás) eu esbravejava e dizia aos quatro ventos que nunca seria como você. Hoje, me vejo o tempo todo me espelhando em tuas posturas.

Eu podia aqui, pedir todas as desculpas sempre recorrentes em todos os Dias da Mães. Todas aquelas desculpas que inicialmente escrevia em cartões de folha de caderno e letra de forma. Podia elencar, fazer uma lista de todas as coisas que preciso pedir desculpas. As dores de cabeça, as noites mal dormidas, as palavras não ditas e as ditas tão brutalmente...

O fato é que, não importa quantas vezes eu peça desculpas, elas acontecerão outras vezes. É a dinâmica saudável de mães e filhos.

Por muito tempo me senti distante, onde a distância máxima eram poucos metros. Acho que demorei tempo demais para usufruir da melhor amiga que já tive em toda vida.

Antes tarde do que nunca!

Só eu sei o jeito que você me olha. Só eu discrimino todos os tons de sua voz. Só eu sinto a dor da sua reprovação.

Me esforço loucamente para ter sua atenção (não que ela me seja pouca, mas é que todo tanto é sempre pouco!), quando muitas vezes meto os pés pelas mãos.

Com tudo isso que consegui escrever, e mais um pouco que sempre falo e eternamente falarei nas entrelinhas da vida, só me resta encerrar com a frase mais óbvia e mais clichê, porém não menos importante nesta declaração de amor.

Mãe, te amo!


[Feliz Dia das Mães para todas as mães desse mundo!]

8 pessoas quiseram falar também!:

Susanna Martins 05 maio, 2008  

Mãe é tudo mesmo, nem encontro palavras para poder descrever! É um ser tão nobre, tão especial, que tem amor incondicional. Tenho que usar aquele velho clichê: 'mãe é mãe!' E realmente, 'mãe é mãe'...
A minha então, é a melhor mãe do mundo! Eu a amo tanto, um amor tão grande que sou capaz de ir ao fim do mundo por ela, capaz de dá a minha vida pela dela!
Parabéns pelas palavras!!
Abraços e boa semana,

Susanna Martins

.a negra. 05 maio, 2008  

aaaaaaaaah mãe..
cada um do seu jeitinhu...
com seu capricho..
e adorável e amaáel..
infinatamente sou sortuda por ter duas!!!!


heheheheh
bjs

Lorita 05 maio, 2008  

Coisa mais linda amiga, vc leu isso pra ela? escreve num papel e dá pra ela, vai churar té secar! rs...

Bjm

Jordan Duailibe 05 maio, 2008  

Lindo texto Mariana,amei,hmmm venho aqui dizer também que atualizei o blog...Às vezes preciso mesmo de um puxão de orelhas como a sua(risos)E a música dos Beatles encaixa perfeitamente aqui...Beijões

Igor Lessa 06 maio, 2008  

Nossa, que bonito...
Fiquei emocionado com esse post. De certa forma me identifico. Tive problemas s�rios com a minha m�e durante a minha vida inteira, cheguei a ficar longe dela por anos. De menos de 2 anos pra c� descobrimos uma amizade que n�o trocamos por nada e agora tudo � melhor e mais bonito.

Lindo, Mari1
Um beijo!


Olhando Pra Grama - Cr�nicas de um ansioso

Marcelo Martins 06 maio, 2008  

Realmente uma linda declaração de amor.
As mães são as únicas pessoas capazes de amar incondicionalmente de fato.
Tudo perdôam, tudo relevam em nome do amor pelos filhos.
Morrem por eles, fazem de tudo pela sua felicidade.
Mães são anjos e devemos mesmo saber reconhecer seu valor, exatamente como você acaba de fazer. =)

Beijinhos.

Ana Carolina Braga 07 maio, 2008  

Que linda a sua declaração! Tenho certeza que a sua mãe vai gostar dessas palavras doces ...
Mães realmente são (e se não são, deveriam ser) as nossas melhores amigas ...
Uma vez eu li que o amor de mãe é como se fosse o amor de Deus ... e não é que é verdade? Como se o amor de mãe tudo suportasse, fosse incondicional mesmo ...
=)

espero um dia ser uma mãe pra os meus futuros filhos assim como a minha mãe é pra mim...tão maravilhosa1


bjs!

Olivia 07 maio, 2008  

"As mães perdoam sempre; elas vieram ao mundo para isso.
ALEXANDRE DUMAS (escritor francês)"
...Só saberás exatamente o grande amor que sinto por ti filha, quando tiveres nos braços o seu filho! TE AMO MUITOOOOOOOO!

Postar um comentário

Você também precisa falar? Comente...

Importante

Os textos postados neste blog são de minha autoria. Aqueles que não são, faço referência aos autores e/ou locais onde encontrei. Faça o mesmo e respeite: se copiar, credite.

Os comentários são abertos e o conteúdo dos mesmos não necessariamente expressa a opinião da autora.

Para parcerias e contatos profissionais utilize o formulário do 'Fale comigo'.

Fale comigo

Envie um e-mail diretamente para mim.


Seu nome:

E-Mail:

Mensagem:


Você é sempre bem vindo aqui! Volte sempre que quiser!

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP