"Sou eu que começo ou é você que começa? [...] Sou eu que começo! [...] E eu começo como? Eu vou falando por ordem cronológica ou o que me vier na cabeça?"
(Mercedes, personagem de Lília Cabral - Divã, 2009)

O blog mudou no formato. Os textos mais recentes estão abaixo e podem ser lidos na íntegra clicando em Read more... no final de cada postagem.

O restante das postagens estão disponíveis nos links a esquerda. Utilize a ferramenta de busca ou as tags.

Fique a vontade. E volte sempre!

Pseudo-intelectuais e conversas codificadas!

terça-feira, 6 de maio de 2008

Não sei o que o restante do mundo pensa sobre pseudo-intelectuais e conversas codificadas. Sei que eu fico ligeiramente incomodada quando algum desse tipo vem com essas conversas para cima de mim.
Eu não sou nenhum crânio abastado de informações, expressões, bons autores e vocabulário. Sei um pouco das coisas que me são rotineiras. Sei um pouco mais sobre aquelas que me atraem. E sei um tanto mais sobre mim mesma e, principalmente, sobre até onde vai a minha inteligência.
Eu sou inteligente. Não necessariamente o esteriótipo de nerd, mas inteligente no sentido de que me viro bem nesse mundo de informações, tecnologias e vivo sempre com sede de aprendizado.
Eu só não sou muito inteligente a ponto de perceber com antecedência que, muitas vezes, reforço e me aproximo de pseudo-inteligentes. Justamente aqueles que me irritam.
Chamo de pseudo-inteligentes, aqueles que escrevem (em seus blogs, revistas, livros, agendas e papéis de pão - tanto faz!) para ninguém entender a não ser eles mesmos. As vezes, nem eles mesmos entendem, passando apenas a fazê-lo quando alguém, mais sensível e inteligente, lhe declara um comentário interpretativo de alto nível. Então, o pseudo-inteligente, toma aquela interpretação para si, e elogia seu comentarista como uma pessoa perspicaz.
Quantos reforçadores! O pseudo-inteligente cada vez escrevendo mais e mais conjuntos de palavras rebuscadas e tiradas diretamente do vocabulário Barroco, e excelentes comentaristas perdendo seu tempo lendo e tentando entender cada vez mais e mais, o porque daquele aglomerado de palavras.
Os pseudo-inteligentes depois de se artibuirem todas aquelas características lindas e intelectualizadas, passa para um novo nível: as conversas codificadas.
Eles imaginam que são da nata pensante, e por isso apenas a nata pensante os deve (leia esse deve com ênfase e no sentido de deveres/direitos) entender. E seguem a péssima máxima que "para bom entendedor meia palavra basta!". Eu acredito que para péssimo escritor, meia palavra basta.
As pessoas mais inteligentes que conheço, escrevem clara e objetivamente. Com o coração ou com a razão, pouco importa. Eles sempre se fazem entender.
Leis bem escritas, leis inteligentes, são aquelas que não deixam dubialidade. São aquelas que toda e qualquer pessoa pode enteder.
Os pseudo-inteligentes enumeram autores consagrados da literatura e se dizem amante das artes, enquanto a maior arte de seu conhecimento é aquela que ele aprontava no colégio! Eles opinam sobre política, tendências, amores e experiências consagradas da vida (dura) que ele leva/ou. Tudo isso, sem fundamentação, argumentos ou causa. Eles são facilmente quebrados pelo primeiro insensível e intolerante à classe pseudo-intelectual. Se perdem nas palavras.
Eu me irrito com pseudo-inteligentes, pois eles subjulgam a inteligência real de todas as outras pessoas do mundo. ( E parecem bêbados falando um português bem conjugado.)
Se você escreve algo com o objetivo de 'entenda como quiser', a inteligência e perspicácia é daquele que, dali, faz interpretações.
Para mim, o inteligente é aquele que, com seus reais conhecimentos, consegue se fazer entender, refletir, ensinar e sempre (sempre!) acrescentar algo na vida de alguém. Seja esse alguém quem for!
Se você for um pseudo-intelectual e ou se reconheceu em partes por aqui, não se sinta magoado ou ofendido! Você tem tudo para ser o intelectual que deseja ser, basta pensar nos benefícios reais que o aprendizado lhe oferece, invés de garimpar status social. Ele virá de qualquer forma, se merecedor for!
** eu gostaria de ter deixado o post para minha mãe até o domingo do Dia das Mães, mas minha inspiração ferveu e eu não permiti deixar que ela se esvaísse. **

27 pessoas quiseram falar também!:

carla m. 06 maio, 2008  

Sabe, na maior parte do tempo me sinto como você... Mas aí me vejo fazendo esse mesmo jogo. Me dá tilt.

Depois desisto. Relaxo e aproveito.
Na pior das hipóteses vou aumentando meu vocabulário.

Dama de Cinzas 06 maio, 2008  

Odeio pseudo-intelectuais! Os intelectuais de verdade já são pessoas que parecem viver nem estado mental diferente da maioria. Os pseudos fingem que sacam muito de tudo, mas nas verdade são uns burrinhos inconformados com suas limitações.

Posso dizer que meu namorado é um verdadeiro intelectual, tenho alguns amigos pseudos que eu perdoo porque têm bom coração. Eu não tenho nada de intelectual, sou inteligente o que é diferente. Sou interessada por alguns assuntos e nesses eu me aprofundo...

Beijos

Leonardo Werneck 06 maio, 2008  

Posso dizer que me considero inteligente também, gosto de falar bonito e me fazer entender, sempre,mas nem sempre sou entendido.

Pseudo-intelectuais me irritam também, mas aprendo com eles...rs


beijo

Euzer Lopes 06 maio, 2008  

Eu simplesmente acho que esses pseudo-intelectuais fariam a alegria de psicólogos, psicanalistas e até psiquiatras. Verdade. A começar pela maneira como eles se portam: nivelam por si o resto do mundo. Ou seja, se você faz cara de interrogação a alguma dessas baboseiras de almanaque que eles vomitam, logo você é um ser inferior. São pessoas que acham lindo fazer um poema onde calculadora pode muito bem ter uma rima com antena de TV e aquela curriola de puxa saco faz algum comentário dizendo que a janela é o espelho do pé da estante que, pronto!, estarão no mesmo barco.
Tudo tão profundo quanto poça de água da chuva que caiu há 2 dias e ainda não evaporo por completo! Essas pessoas sofrem de algum tipo de carência, alguma rejeição ou algum colapso mental na infância e trazem para seu momento atual esta capa, esta máscara tentando ser superior.
Resumindo: pra mim são apenas e tão somente criaturas desprezíveis. Jamais fariam parte do meu círculo de relacionamentos. Reais ou virtuais - afinal até no virtual eu prezo pela descência e pela dignidade. Senão, certamente eu não teria lido o seu blog se você não fosse uma pessoa descente, certo?

Renata 07 maio, 2008  

Eu também não sou pseudo-inteligente (aliás agradeço a "tradução" da palavra), mas sou feliz com a inteligência que tenho. Acho que cada um com sua inteligência, e que não é legal ficar julgando os outros só porque não entendem o que você diz. Igual médico, que escreve aquelas minhoquinhas pelo simples prazer de dizer que é letra de médico e se vangloriar porque ninguém entende. Daí vai lá o sujeito e compra o remédio errado. Onde fica o profissionalismo assim? Eu escrevo sobre tudo, sobre muita abobrinha também, porque sou assim e me sinto bem. E tá bom demais né não?
Beijo.

Nathália 07 maio, 2008  

Ainda bem que consigo reconhecer esses tipos logo de primeira. Assim tenho tempo de me preparar para deixá-los sempre muito mal. Hahahaha
E não que eu seja super inteligente, diria que sou mais esperta do que inteligente. Por isso tenho uma incrível facilidade em constranger quem eu quero que fique com a cara no chão. Hahaha. Sou malvada!
E você me ama por isso (?).

Beijo!

Ana Carolina Braga 07 maio, 2008  

Posso dizer que te entendo perfeitamente nesse sentido. Eu faço filosofia e na minha sala o que mais tem são os pseudo-inteligentes, imagina tudo mundo querendo ser melhor que os outros, cada um tentando provar que sabe mais de um determinado pensador, sobre determinada área. Enfim, isso é algo que me deixa realmente triste e desanimada. E sobre inteligência, acho que todos os homens são dotados por ela. Creio eu que o que vai diferenciar é que um desenvolve mais a sua inteligência para uma área e o outro para outra área ...
E sobre essa questão de ser ''nerd'' é engraçado ... porque só aqui mesmo no Brasil que temos preconceito com aquele amigo da classe que é super estudioso ... até hoje não consegui saber se é por inveja ou por pura burice mesmo! =P Enfim, se temos nos outros países... outras realidades...como quem estuda é o melhor ... e lá sim há uma competição pra ser o melhor da sala, o ''the best'' ... sinceramente...aqui também deveria ser assim ... não acha?


bjs!

Nataliinha 07 maio, 2008  

Eu não sou inteligente.
Mas me esforço pra estudar e tirar boas notas e saber de tudo um pouco !

Ah, e odeio aqueles metidos a nerd !
Beijooos =)

Wagner Marques 07 maio, 2008  

sempre me daparo com conflitos neste blog! Será que a marca da escrita é algo permeado por eles também?

abraço.

Salve Jorge 07 maio, 2008  

Pseudo-intelectuais
Perturbam a paz
Com suas pseudo-inteligências
Esgotando a paciência
Para inflar seus pseudo-egos
Cadê meu prego?
Eu só me alegro
Quando desregro
E mostro que o pseudo
É só um feudo
Perdido no espaço, nas idéias e nos traços...

Vinícius Aguiar 07 maio, 2008  

Concordo plenamente! As palavras são um meio de expressão bastante abstrato, é verdade, mas isso não obriga que as pessoas façam delas parte de um único mundo interior. A inteligência de fato consiste em expor as idéias da forma mais clara possível, para que o "público alvo" possa compreender a mensagem, e não utilizar-se de palavras e expressões que estão quase saíndo do dicionário para provar algo que na verdade não passa de uma inútil vontade de ser melhor que os outros!

Parabéns pelo texto!

Vinícius Aguiar 07 maio, 2008  

Concordo plenamente! As palavras são um meio de expressão bastante abstrato, é verdade, mas isso não obriga que as pessoas façam delas parte de um único mundo interior. A inteligência de fato consiste em expor as idéias da forma mais clara possível, para que o "público alvo" possa compreender a mensagem, e não utilizar-se de palavras e expressões que estão quase saíndo do dicionário para provar algo que na verdade não passa de uma inútil vontade de ser melhor que os outros!

Parabéns pelo texto!

Ariana 07 maio, 2008  

Belo blog!

Adoreii!

Beijo*

Gustavo Santiago 08 maio, 2008  

O pseudo-inteligente cada vez escrevendo mais e mais conjuntos de palavras rebuscadas e tiradas diretamente do vocabulário Barroco.

EAHUEAaueiheaiuea.ss

adorei essa parte, mas não é só escrever não mariana é no modo de falar também.

Isso é problema de ego. Tem gente que acha que assim chama atenção(falando ou escrevendo a palavrinha esquisita que eles acharam no dicionario).

o negócio não é complicar pra tonar algo, é fazer do simples o belo. escritor tem que passar sua mensagem, como vc passou sua opniao.

pra mim escrita é três coisas.

experiencias
coração
sensibilidade

p.s: adorei seu blog.
fora essa musiquinhas que ficam tocando aqui. =D

Ana Laura 08 maio, 2008  

eu não sou intelectual, mas me considero inteligente pela minha capacidade de refletir e discutir sobre qualquer assunto que me for apresentado. Só que não me aprofundo em todos, só nos que me interessam realmente.

Pseudos-qualquer-coisa são encontrados facilmente por aí hoje em dia.

Beijo e tem presente pra você no meu blog.

Susanna Martins 08 maio, 2008  

É verdade quando vc disse que para bom escritor meia palavra não basta. Não gosto muito de ler ou escrever pela metade, o texto tem que ser preciso e concreto, mesmo que ele seja abstrato. rs
Não adianta dizermos que sabemos um pouco de tudo, é muito melhor sabemos tudo de um pouco de cada coisa, do que sabermos nada de várias coisas.
Vejo que tenho que rever algumas coisinhas por aqui, viu? rs
Abraços Minha Terapeuta, que pra mim não Está de Férias. rs
beijos

Suzanna Martins

*Raíssa 08 maio, 2008  

"Os pseudo-inteligentes enumeram autores consagrados da literatura e se dizem amante das artes, enquanto a maior arte de seu conhecimento é aquela que ele aprontava no colégio! "
Perfeito!
Pseudo-intelectuais também me irritam muito, são ridículos! Dá até vontade de rir quando eles começam a usar palavras rebuscadas, inutilmente, que nem eles mesmos sabem o significado.
Adorei o texto e o blog, posso linká-lo no meu? Estou começando um blog.
Beijos

Lorita 08 maio, 2008  

eu aprendo mto com eles, sabia? a como ser exatamente o contrário deles! rs...

bjm

Ciça. 08 maio, 2008  

Logo que percebo que o texto é desse tipo já clico no x lá do cantinho de cima... Não tenho paciência.


:*

.a negra. 08 maio, 2008  

"Inteligência é algo que estou a procurar"

só tento ser clara e ojetiva!
de que adinat tanto e tanto lero-lero se o que vc qr falar, acaba não sendo dito!


bjs

.a negra. 08 maio, 2008  

Já ia esquecendo...
Dos pseudos- ? .....
apenas os ignoro!

;)

*Raíssa 08 maio, 2008  

Eu adoro Psicologia! At� penso em fazer depois que eu terminar Publicidade. Minhas an�lises psicol�gicas s�o com base em observa�es, mas saber o signo da pessoa que eu estou analisando ajuda. Mais um motivo pelo qual eu quero fazer Psicologia: adoro analisar as pessoas, acho interessante.
J� est� linkada :)
Quanto ao meu cabelo, ainda n�o est� dessa cor, foi efeito da luz na foto, mas em breve ficar�. Tomei coragem pra pintar finalmente!
Obrigada pelo elogio ao blog tamb�m!
Beijos

Ultra Violet 09 maio, 2008  

Bem, adoro conversas decodificadas, será que sou pseudo-intelectual? rs

Só sei que sou inteligente para certas coisas, mas para outras, sou muito burra.

Só sei que nada sei. Será que alguém pode saber tudo? às vezes, a ignorância é uma dádiva!

Bjs.

Geminiana Doce 09 maio, 2008  

Eles me irritam muito também Mari,e o pior é que no ano passado convivi com muitos deles...quase pirei...kkkkkk
Bjos e um lindo fds

Otávio 10 maio, 2008  

"Eu acredito que para péssimo escritor, meia palavra basta" gostei! mas o último parágrafo parece q foi pra mim, sabe, eu sou um pseudo-intelectual! me sinto até envergonhado rs.. mas é q eu não tive escolha: qdo era sincero me acusavam de superficial, qdo tentava aprofundar um assunto ninguém comentava, mas nunca fui de complicar, pelo contrário, gosto tanto das minhas opiniões q quero ser o mais claro possível. Acho q hoje me preocupo (no blog) mais com forma q com conteúdo, mas não deixo de ser sincero, ainda q uma sinceridade na defensiva..
Gostei do teu blog!

Luilton 11 maio, 2008  

Cara, eu penso como você e você colocou de forma muito inteligente o que nós pensamos sobre essas pessoas.

Chegou a rir com algumas coisas que leio. "Caramba, o que diabos ele(a) quis dizer com isso?" eheheh

Um abraço... o melhor post que já vi por aqui! :)

Mary West 11 maio, 2008  

Ninguem aguenta mesmo esse povo q muito fala, dá idéia p/ akele velho ditado q cão q muito ladra...Não morde!

Postar um comentário

Você também precisa falar? Comente...

Importante

Os textos postados neste blog são de minha autoria. Aqueles que não são, faço referência aos autores e/ou locais onde encontrei. Faça o mesmo e respeite: se copiar, credite.

Os comentários são abertos e o conteúdo dos mesmos não necessariamente expressa a opinião da autora.

Para parcerias e contatos profissionais utilize o formulário do 'Fale comigo'.

Fale comigo

Envie um e-mail diretamente para mim.


Seu nome:

E-Mail:

Mensagem:


Você é sempre bem vindo aqui! Volte sempre que quiser!

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP