"Sou eu que começo ou é você que começa? [...] Sou eu que começo! [...] E eu começo como? Eu vou falando por ordem cronológica ou o que me vier na cabeça?"
(Mercedes, personagem de Lília Cabral - Divã, 2009)

O blog mudou no formato. Os textos mais recentes estão abaixo e podem ser lidos na íntegra clicando em Read more... no final de cada postagem.

O restante das postagens estão disponíveis nos links a esquerda. Utilize a ferramenta de busca ou as tags.

Fique a vontade. E volte sempre!

O que você vê?

domingo, 17 de janeiro de 2010

Eu estou com as palavras saltando boca afora. De alguma forma, ainda as mantenho agarradas na garganta. Escrevo para expelí-las - ou aprisioná-las - neste pedaço de falso papel, neste momento de falsa memória.

Sempre que me pego encurralada com minhas marcas, eu desejo sumir. Eu quero me esconder de mim mesma. Fecho os olhos com as mãos, feito criança que teme as histórias de terror. Então eu continuo natural...

Cansei. Cansei dessa loucura de equilibrar-se. Chega um momento que eu quero me desmontar e pronto. Depois eu remonto: eu sempre remonto.

Ah, essa maturidade... Quem diria que logo eu estaria frente a frente com ela em duelo de afinidades?

Quando joguei fora todas aquelas máscaras, ela entrou na minha vida. Eu nunca pensei sobre isso, mas talvez seja essa a condição para que a maturidade se aproxime: deixar as máscaras. O problema é que quando as máscaras ficam para trás, alguma coisa sobre fantasia também fica.

E quem ama fantasias, como eu, tem duas escolhas adiante: retomar as máscaras e notar que maturidade era apenas mais uma que lhe caiu bem ou reservar as mais transparentes para oportunos momentos, abrindo mão da festa que é uma fantasia e assumindo as dores de olhar para a vida, como de fato se é.

Colocar a face em primeiro plano. Expor a cútis como quem não se aterroriza com o espelho. Porque afinal, aquilo que reflete no espelho é o que cada um vê de si mesmo. O que você vê é o mesmo que eu vejo?

3 pessoas quiseram falar também!:

João Guilherme 17 janeiro, 2010  

meuuu

adorei!!! =D

essa eu entendi!! rs
só não entendi o q significa cútis..
mas olharei no dicionário..rsrs

bjoos

Matheus 17 janeiro, 2010  

O espelho grita!
Pq é o único momento que você se olha nos olhos, ele nos diz coisas que ás vezes não queremos ouvir...
Algumas pessoas nem conseguem se encarar no espelho...

Texto intenso....

Drêycka 18 janeiro, 2010  

Menina, me empresta esta inspiração!
Me impresta esse ímpeto pra escrever... As coisas lá pelo meu blog estão brabas... Ando sem jeito pra falar... Ando sem ele pra vislumbrar...

Hum... isso dá um post...
rsrs


bjsss

Postar um comentário

Você também precisa falar? Comente...

Importante

Os textos postados neste blog são de minha autoria. Aqueles que não são, faço referência aos autores e/ou locais onde encontrei. Faça o mesmo e respeite: se copiar, credite.

Os comentários são abertos e o conteúdo dos mesmos não necessariamente expressa a opinião da autora.

Para parcerias e contatos profissionais utilize o formulário do 'Fale comigo'.

Fale comigo

Envie um e-mail diretamente para mim.


Seu nome:

E-Mail:

Mensagem:


Você é sempre bem vindo aqui! Volte sempre que quiser!

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP